Parece que sim. Inauguraram na Alemanha a primeira fábrica do mundo que pode produzir combustível à partir de 1.500 graus de calor solar.

A primeira planta industrial do mundo que utiliza o calor solar para produzir combustível foi inaugurada a recentemente na Alemanha. Utilizando uma vasta gama de espelhos que concentram o calor do sol em uma torre, o criador da tecnologia, a empresa Synhelion, planeja utilizar o seu processo para produzir combustível mais ecológico para aviões, navios e automóveis. Os caras estão pensando em até mesmo criar cimento com baixo teor de carbono.

Video explicando sobre a tecnologia criada pelç Synhelion | Créditos: https://www.youtube.com/watch?v=OPdmBEmbXQc

Conhecida como DAWN, a usina deverá iniciar as operações ainda este ano, produzindo anualmente vários milhares de litros de combustível. A Synhelion já tem planos de construir uma planta maior na Espanha em 2025, o que aumentará a produção para cerca de 1.000 toneladas/ano. Além disso, a ambição da empresa é de fabricar cerca de 1 milhão de toneladas/ano dentro de 10 anos. À partir de 2033 pretender produzir combustíveis a cerca de 1 dólar o litro.

Heliostatos e um reator em uma torre

Combustível: Será possível produzir à partir da energia solar?
Créditos da imagem: https://synhelion.com/solar-fuels-and-plants

A Synhelion foi fundada em 2016 como uma spin-off da ETH Zurich, impulsionada pelo que os fundadores da empresa descrevem como uma ideia maluca que tiveram: como seria se pudessem reverter a combustão e transformar o dióxido de carbono e a água novamente em combustível?

A tecnologia que desenvolveram consiste em quatro componentes principais:

  • Espelhos, conhecidos como Heliostatos, que rastreiam o sol para concentrar sua energia em um receptor solar. Isto, por sua vez, produz um calor muito elevado, a temperaturas superiores a 1.500 °C;
  • Este calor, alimenta um reator termoquímico que transforma CO2, água e metano em gás de síntese
  • que pode ser transformado em combustível por meio do processo Fischer-Tropsch (FT)
  • E finamente, um armazenamento térmico para liberar a energia quando o sol se põe, permitindo que a instalação movida a energia solar funcione 24 horas por dia.

Mais detalhes sobre a tecnologia

A fábrica foi construída em Jülich, perto dos seus parceiros de projetos, o Centro Aeroespacial Alemão (DLR) e o Instituto Solar da Universidade de Aachen. Combinados, os espelhos têm uma superfície total de 1.500 m2 e fornecem uma potência solar de entrada de 600 kW. A empresa afirma que o design de seus espelhos hexagonais ultrafinos é fundamental para atingir temperaturas de processo tão altas. Ainda utilizam um método baseado em Inteligência Artificial envolvendo drones que calibram os espelhos 200 vezes mais rápidos em comparação com as técnicas tradicionais que usam câmeras, diz a Synhelion. A precisão é fundamental para garantir que os espelhos possam rastrear o sol e facilitar que sua luz seja capturada de forma eficiente em um receptor solar localizado no topo de um torre de 20m de altura.

Combustível: Será possível produzir à partir da energia solar?
Créditos da Imagem: https://synhelion.com/technology

O receptor aquece um fluído gasoso de transferência de calor que circula em um circuito fechado, entregando o calor de processo de alta temperatura para o reator termoquímico e ao armazenamento de energia térmica. No reator, o CO2, o vapor da água e o metano proveniente de resíduos biológicos são aquecidos com a energia solar através de um catalisador que procura uma mistura de monóxido de carbono e hidrogênio conhecida como gás de síntese. Este é então canalizado pela torre até uma unidade Fischer-Tropsch, que o converte em um petróleo bruto sintético que uma refinaria processaria na forma de querosene para aviões, diesel ou metanol para navios e caminhões, além de gasolina e hidrogênio para automóveis.

Combustível: Será possível produzir à partir da energia solar?
Olhada de perto do receptor solar proprietário da Synhelion, que provê o processo necessário para a produção de combustível solar. | Créditos da imagem: https://synhelion.com/press-kit#press-releases

Hartmut Höppne, secretário de estado do Ministério Alemão para Digital e Transportes, disse: “O potencial dos combustíveis sintéticos renováveis é enorme. Para atingir as metas climáticas no setor dos transportes, precisamos de alternativas aos combustíveis fósseis. A primeira fábrica de produção de combustíveis solares na Alemanha é um sinal claro de como as inovações técnicas podem ajudar a reduzir as emissões de CO2“.

Os parceiros no projeto incluem potenciais clientes, como as empresas aéreas Lufthansa e Swiss Airlines. A empresa de engenharia Wood ajuda a Synhelion a projetar, ampliar e a construir sua tecnologia.

A Synhelion também está trabalhando com a Cemex para ver se a tecnologia pode ser usada para produzir calor com baixo teor de carbono na produção de cimento. Em 2023, os parceiros anunciaram que tinham produzido clínquer (cimento) em condições contínuas semelhantes às de uma planta, utilizando calor solar. O clínquer é normalmente produzido em forno rotativo aquecido à 1.500 oC utilizando combustíveis fósseis

A Synhelion também está trabalhando com a Cemex para ver se a tecnologia pode ser usada para produzir calor com baixo teor de carbono para a produção de cimento. Em 2023, os parceiros anunciaram que tinham produzido clínquer em condições semelhantes às de uma planta e contínuas, utilizando calor solar. O clínquer é normalmente produzido em forno rotativo aquecido a 1.500oC usando combustíveis fósseis. A dupla disse que continuará trabalhando juntos para dimensionar a tecnologia.

A Synhelion e a Cemex informou que continuarão trabalhando juntas para dimensionar a tecnologia.

Créditos:

https://www.thechemicalengineer.com/news/producing-fuels-from-1-500-degrees-of-solar-heat-world-s-first-plant-opens-in-germany

https://synhelion.com

Créditos da imagem usada na capa do post:

https://synhelion.com/press-kit#images

What's your reaction?

Excited
0
Happy
0
In Love
0
Not Sure
0
Silly
0
Canal Hacker
Me chamo Ricardo Maganhati e sou o criador do site Canal Hacker.

You may also like